28/06/09

6 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Amancio, José Luiz. O novo perfil do gestor financeiro. Disponível em:


Rodrigues, Marla. Gestão financeira. Disponível em:



<>

Lima Netto, R.P. “Curso Básico de Finanças” São Paulo: Saraiva, 1978

Sanvicente, A.Z. “Administração Financeira“ São Paulo: Atlas, 1987

Robichek, A.A., Myers, S.C. “Otimização das Decisões Financeiras” São Paulo: Atlas, 1971
5 – ANEXO

Entrevista com Rossana Fragoso, Gestor Financeiro e proprietária da fabrica de calçados FioreMix.


1. Em que você acha que contribui para o sucesso da empresa ?
Gerindo da melhor forma possível o capital dentro das necessidades da empresa.

2. Quais prejuízos podem acontecer, caso você – como gestor financeiro –
omita ou divulgue uma informação errada ?
Falta de capital ou de capacidade para honrar compromissos aceitos baseando-se em informações erradas.

3. Porque essa área de trabalho (calçados), ela já não está saturada ?
Desde que você tenha um diferencial que o torne competitivo existe sempre mercado.

4. Qual a parte mais gratificante e a mais desanimadora da sua profissão ?
Além do reconhecimento pelos clientes e ver a empresa crescer e prosperar a rentabilidade é sempre boa. Por outro lado tomar decisões erradas e sofrer com as incertezas do mercado sem estar financeiramente bem são situações desmotivantes

5. Qual a média de remuneração ?
A média de remuneração é de R$ 5.000,00

6. Que faculdade você cursou e também, você aplica os conhecimentos aprendidos na faculdade, no seu dia-a-dia ?
Me formei em Engenharia de Produção. Sim constantemente.


7. Quais cursos você recomenda que um gestor Financeiro deva ter, além da faculdade ?
Alguns cursos são muito válidos para a área fluxo de caixa, contabilidade básica, direito tributário, matemática financeira.

8. Que dicas você dá a quem está querendo entrar na área ?
Planejar previamente baseado sempre em números reais e de mercado e estar sempre atualizado com novas gestões e estratégias.
3.0 - METODOLOGIA

3.1 Tipos de Pesquisa

Nossa base principal foi a pesquisa exploratória, que é vista como o primeiro passo de todo o trabalho, primeiramente baseando-se no levantamento bibliográfico, entrevista com a Rossana Fragoso - Engenheira de Produção e proprietária da fábrica de calçados Fiore Mix.
Utilizamos também o método de pesquisa explicativa, que além de registrar, analisar e interpretar os fenômenos estudados tem como preocupação primordial identificar os fatores que determinam ou que contribuem para a ocorrência dos fenômenos, isto é, suas causas. Este é o tipo de pesquisa que mais aprofunda o conhecimento da realidade, porque explica a razão e o porquê das coisas.


3.2 – Instrumentos

Os instrumentos a utilizados na pesquisa são basicamente livros e a internet, atualmente o local que reúne o maior numero de informações, porém, foram muito bem analisadas, estudadas e principalmente, muito bem investigadas, para não corrermos o risco de apresentar alguma informação errônea.
2 - Mercado de trabalho

O gestor pode atuar em indústrias, comércios, prestação de serviços, agências financeiras, empresas públicas e empresas de consultorias.
As regiões Sul e Sudeste, que concentram grande número de empresas, são as que oferecem as melhores oportunidades. Há ainda um mercado em expansão no Nordeste.
O profissional formado pode atuar em diversas funções, dentre elas:
· Gerente de finanças;
· Gerente de contas;
· Controller;
· Assistente financeiro;
· Consultor em finanças;
· Analista financeiro;
· Analista de investimentos e
· Analista de crédito e risco.


2.1 – Características do Mercado

O gestor financeiro precisa conhecer as principais características financeiras dos participantes do mercado no qual atua a sua empresa, envolvendo cliente, fornecedores e concorrentes, entre os quais citamos:
· Clientes: quantidade por região e geral; volume médio de vendas por cliente, por tipo de produto e geral e prazo médio e forma de pagamento das vendas;
· Fornecedores: quantidade por produto; volume médio de compras por fornecedor e prazo médio de pagamentos das compras;

· Concorrentes: quantidade por região e por tipo de produtos; prazo médio por tipo de produto e prazo médio e forma de pagamento das vendas.



2.2 – Funções do Profissional Gestor Financeiro

Quando uma empresa está sentindo algum tipo de dificuldade, procura ajuda de um profissional, normalmente um consultor ou um profissional qualificado que possa ajudá-la a solucionar esses problemas.
No primeiro contato, o gestor da empresa expõe o problema e o consultor, por meio de técnicas e procedimentos adequados, avalia a situação apresentada, efetua um diagnóstico e propõe um plano de ação visando solucionar os problemas empresariais apresentados.
Para gerenciar com eficiência a área financeira de qualquer empresa torna-se necessário implantar alguns relatórios gerenciais, como alguns indicadores de desempenho para que se faça o acompanhamento periódico do seu desempenho.

Análise e Planejamento Financeiro: analisar os resultados financeiros e planejar ações necessárias para obter melhorias;
Captação e Aplicação de Recursos Financeiros: analisar e negociar a captação dos recursos financeiros necessários, bem como a aplicação dos recursos financeiros disponíveis;
Crédito e Cobrança: analisar a concessão de crédito aos clientes e administrar o recebimento dos créditos concedidos;
Caixa: efetuar os recebimentos e os pagamentos, controlando o caixa;
Contas a receber: controlar as contas a receber relativas à venda a prazo;
Contas a pagar: controlar as contas a pagar relativas às compras a prazo, impostos, despesas operacionais e outras;
Contabilidade: registrar as operações realizadas pela empresa e emitir os relatórios contábeis.


2.3 – Análise, Planejamento e Controle Financeiro

A inexistência de uma adequada gestão financeira pelas empresas provoca uma série de problemas de análise, planejamento e controle financeiro das suas atividades operacionais, entre os quais citamos:

· Não ter as informações corretas sobre o saldo do caixa, valor dos estoques das mercadorias, valor das contas a receber, valor das contas a pagar, volume das despesas fixas ou financeiras, etc. Isso ocorre porque não fazem o registro adequado das transações realizadas.

· Não saber se a empresa está tendo lucro, ou não, em suas atividades operacionais, porque não elaboram o demonstrativo de resultados.

· Não calcular corretamente o preço da venda de seus produtos, porque não conhecem os seus custos e despesas.

· Não conhecer corretamente o volume e a origem dos recebimentos, e o volume e o destino dos pagamentos, porque não elaboram o fluxo de caixa.

· Não saber o valor patrimonial da empresa, porque não elaboram o balanço patrimonial.

· Não saber quanto os sócios retiram de pró-labore, porque não estabelecem um valor fixo para a remuneração dos sócios.

· Não conhecer corretamente o custo das mercadorias vendidas, porque não fazem um registro adequado do estoque de mercadorias.

· Não saber corretamente o valor das despesas fixas da empresa, porque não fazem separação das despesas pessoais dos sócios em relação ás despesas da empresa.

· Não saber administrar corretamente o capital de giro da empresa, porque não conhecem o ciclo financeiro de suas operações.

· Não fazer análise e planejamento financeiro da empresa, porque não tem um sistema de informações gerenciais (fluxo de caixa, demonstrativo de resultados e balanço patrimonial).

2.4 - Relatórios Gerenciais

Controle de Vendas Realizadas: O objetivo desse relatório é informar as vendas diárias realizadas, os custos das mercadorias vendidas, o lucro bruto e a margem bruta sobre as vendas registradas.

Apuração dos Resultados da empresa: O objetivo é apurar o resultado líquido mensal da empresa. O resultado líquido mensal é o valor das vendas menos o custo das mercadorias vendidas e as despesas da empresa.

Controle de Caixa do Movimento Realizado: O objetivo é registrar as entradas e saídas realizadas de recursos financeiros e apurar o saldo disponível.

Fluxo de Caixa: As considerações a serem feitas com relação ao Fluxo de Caixa são as mesmas com relação ao Controle de Movimento de Caixa, porém sempre pensando em entradas e saídas de caixa no futuro, ou seja, todas as entradas e saídas são previstas por um período de tempo, de acordo com o vencimento do recebimento de valores de cliente e dos pagamentos efetuados aos fornecedores e terceiros.

Balanço Gerencial: O objetivo do Balanço Gerencial é demonstrar onde os recursos financeiros foram aplicados na empresa (ativo), como também as fontes de recursos financeiros (passivo + patrimônio líquido).

2.5 - Dicas para manter uma boa Gestão Financeira

· Elaborar e manter os relatórios gerenciais (controles financeiros) sempre atualizados;
· Acompanhar periodicamente os indicadores financeiros;
· Manter os estoques em níveis compatíveis com o volume de vendas. Evitar os excessos de compras;
· Mantenha um controle permanente das despesas fixas, procurando mantê-las compatíveis com a capacidade da empresa;
· Sempre que fizer propaganda, analise o custo/benefício da mesma para os negócios da empresa;
· Evite os descasamentos de prazos entre os pagamentos de compras com os recebimentos das vendas a prazo.


2.6 – Pontos de uma Gestão Ineficiente

· Um dos erros mais comuns, e também mais sérios, é o de confundir gastos pessoais com gastos da empresa. O patrimônio da empresa não deve ser misturado ao patrimônio dos donos.

· Investimento não planejado, ou seja, investir, e fixar metas, sem uma avaliação precisa das necessidades operacionais.

· Ausência de controle dos custos, bem como de outros controles internos ligados á capacidade de gerenciamento de uma empresa, tais como: compras, vendas, estoques, finanças, contabilidade, recursos humanos, etc.

· Estabelecer prazos de venda sem levar em conta o capital de giro.

· Acumular dívidas e utilizar recursos emprestados, a uma alta taxa de juros, para suportar os gastos da empresa.

· Inexperiência dos sócios no ramo da atividade escolhida para o empreendimento.
1.1 Objetivos

Nosso objetivo é oferecer aos estudantes e recém ingressos no mercado de trabalho uma visão clara e objetiva das funções, obrigatoriedades e vantagens de se tornar um Gestor Financeiro.
Buscaremos oferecer uma visão clara e breve das características do mercado de trabalho, os indicadores financeiros, dicas para uma boa gestão financeira, pontos de uma gestão ineficiente e também a importância da análise, planejamento e controle financeiro.

1.2 Justificativa

O objeto de estudo caracteriza-se no setor calçadista pela facilidade de obtermos as informações, pois temos uma engenheira de produção e proprietária de uma pequena fábrica, nos auxiliando nos pontos principais e dúvidas. Também contamos com a constante expansão do mercado, e principalmente, por ser um assunto que todas nós, mulheres, gostaríamos de nos aprofundar.

1.3 Delimitações – Área Calçadista

Estamos entrando em uma área complexa e com muita concorrência, a Área Calçadista hoje é extremamente concorrida, tudo que se faz precisa ser calculado desde o custo inicial do produto, passando pelo processo de fabricação e design até o preço final de venda.
O produto feito precisa ser bem aceito e com um design diferenciado e dentro deste processo precisa ser elaborado um projeto de pesquisa para chegar a um ótimo produto com qualidade e preço justo para ficar mais atraente aos olhos do consumidor, tudo gira em torno do Gestor Financeiro que também gere todo o processo para que não haja desperdício que é muito comum nesta área que são as sobras de materiais e estoque.
O estoque precisa ser bem cuidado é a alma do negócio já que a numeração dos calçados é variada e existem os números que tem mais saída e sendo assim não podemos deixar que falte o produto para consumidor interessado em comprar.
O sistema de Gestão é o principal fator, ele agrega todas os processos e cuida para que o produto chegue ao seu destino com um custo baixo com os impostos calculados e provisionados e com estoque bem estruturado para atender a demanda e seu fluxo de caixa precisar ter um bom parâmetro para se movimentar, desta forma o processo de fabricação gira e a produção não para.
Precisamos ressaltar também que o sistema de Gestão é vasto e entramos em outro item muito importante que é o trabalho feito com as pessoas envolvidas no processo desde o fabricante até o vendedor, o gestor precisa estar atento a esta fase, todos os envolvidos precisam estar satisfeitos e plenamente envolvidos ao trabalho para termos bons prazos e qualidade no produto finalizado, a equipe precisar estar 100% conectada e envolvida no processo com a vontade e este estímulo, que é passado a aflorado pelo Gestor que coordena todo o processo.

1.3.1 Garantias que deverão ser oferecidas:

Que as receitas de vendas darão cobertura plena ao pagamento das despesas fixas e que o volume de despesas fixas de sua fábrica de calçados seja compatível com a natureza deste tipo de negócio;

1.3.2 - A importância do Relatório de Custos

Em sua fábrica de calçados, quando esta começar a funcionar, terá três famílias de gastos: custo variável, despesas fixas e despesas comerciais.
Os “custos variáveis” são gastos que ocorrerão em função da aquisição de algum produto para comercialização aos clientes;
As “despesas fixas” são todos os gastos que terá em sua operação, não relacionados diretamente a nenhum produto ou serviço. Inclui aluguel, gastos com manutenção, custo da administração (como salários, materiais de consumo, luz, água, telefone etc).
As “Despesas Comerciais” são os gastos que ocorrerão todas as vezes que obtiver mais clientes, receber mensalidades etc. Portanto, são despesas que variam conforme o volume de vendas e o volume de clientes.

1.3.3 - Parâmetros para Cálculo Preço de Venda :

O papel do Gestor Financeiro nesse aspecto é primordial, pois, se começar a operar sem este conhecimento, pode que comece a ter problemas financeiros imediatamente, inviabilizando a empresa.

1.3.4 - Qual o Ponto de Equilibrio de Vendas x Pagamentos ?

Ponto de Equilíbrio representa a quantidade de venda que precisa ser realizada mensalmente para gerar receitas suficientes para pagar todo o custo variável gerado, todas as despesas comerciais geradas e todos as despesas fixas que a empresa tiver no mês. Isto é, “empatar”.

1.3.5 - Fuxo de Caixa

O Gestor Financeiro deverá representar com a maior exatidão possível a realidade do mercado. Todas as estimativas que fizer, resultarão em previsões financeiras.
O Fluxo de Caixa, ele será o grande aliado na tomada de decisões diárias envolvendo o dinheiro da empresa. Sem ele, tudo será confuso; com ele, você terá uma espécie de “bússola” para guiar suas decisões.
Estes dois processos podem ser desdobrados em outros, que são a previsão de entrada e a previsão de saída de dinheiro. O que realmente importa nesta questão são as previsões, e sua capacidade de “enxergar” os acontecimentos futuros em tempo de tomar decisões.

1.3.6 - Apuração dos Resultados

Se o “Fluxo de Caixa” é a bússola dos empresários, o “Demonstrativo de Resultado”, isto é, a apuração de resultados equivale aos momentos de parada para conferir e acertar o rumo, a direção.

Juntos, o “Fluxo de Caixa” e o “Demonstrativo de Resultados” são os dois instrumentos mais importantes da gestão financeira da empresa. Por isso todo gestor financeiro deve dominar sua prática, interpretação e tomada de decisão.

14/06/09

INTRODUÇÃO

A Gestão Financeira concentra-se sobre o estudo das decisões financeiras assumidas na empresa; assim, e antes de nos debruçarmos sobre o conceito de Gestão Financeira, importa demarcar muito claramente a definição da própria empresa.

Os objetivos da empresa têm sido particularmente condicionados ao longo da história, pois o seu enquadramento institucional tem variado, de acordo com as ideologias políticas predominantes em cada época e em cada país.

O objetivo da maximização do lucro a curto ou a médio prazo, pressupõe teoricamente a aceitação do regime da propriedade privada dos meios de produção e do comportamento da concorrência dos diversos agentes econômicos, numa perspectiva contabilística, o conceito de lucro que importa considerar identifica-se com os lucros líquidos de custos financeiros e de impostos sobre lucros.

O desenvolvimento e a estabilidade global da empresa poderão ser seriamente comprometidos, se a ótica do curto prazo sobressair-se a visão do longo prazo, como por exemplo, acontece com a adoção de uma política de distribuição de lucros
demasiadamente liberal, na verdade uma adequada política de distribuição de resultados anuais poderá contribuir para a manutenção de níveis anuais corretos de auto financiamento ou para a consolidação da autonomia financeira da empresa.

A simples maximização do lucro anual apresenta-se mais como um importante meio de preservação da independência e do desenvolvimento da empresa do que propriamente como um objetivo, realmente a equilibrada retenção dos lucros anuais pode contribuir para a elevação do valor da própria empresa.

Projeto de Pesquisa de Gestão Financeira

RESUMO


Podemos entender que a gestão financeira compreende um conjunto de ações e procedimentos administrativos, que envolve desde o planejamento, análise e controle das atividades financeiras da empresa.
O objetivo do gestor financeiro é aumentar o valor do patrimônio líquido da empresa, por meio da geração de lucro líquido, decorrente das atividades operacionais da empresa. Para realizar essa tarefa, o gestor financeiro precisa ter um sistema de informações gerenciais que lhe permita conhecer a situação financeira da empresa e tomar as decisões mais adequadas, maximizando seus resultados.
Gestão Financeira de Micro, Pequena e Média Empresa incorpora conhecimentos e habilidades para atuar na área financeira de custos, analisar as informações econômicas e financeiras para a tomada de decisões, gerenciar o capital de giro, selecionar, implementar e acompanhar novos negócios, bem como planejar e controlar todas as operações financeiras características das empresas. Este tecnólogo analisa os créditos e os demonstrativos contábeis, avalia a manutenção de estoques, acompanha faturamento e fluxos de caixa. Pode atuar ainda na área de auditoria. De olho nas mudanças econômicas do país, analisa o mercado e sugere mudanças que tenham influência no desempenho da empresa.
Para elaborar o adequado planejamento tributário, o gestor financeiro precisa conhecer bem a legislação tributária aos impostos, taxas, contribuições que incidem sobre as atividades operacionais da sua empresa, como por exemplo, base de cálculo, lucro real ou presumido, prazo de recolhimento, isenções, incentivos, benefícios fiscais, etc.


“Fazer o dinheiro render”: Este é o lema do gestor financeiro